Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Girl About Town

“I like my money right where I can see it: hanging in my closet.” — Carrie Bradshaw

Girl About Town

“I like my money right where I can see it: hanging in my closet.” — Carrie Bradshaw

01
Mai18

Sobre o Estágio

inspiration-quote.jpg

 

Faz no próximo dia 3 de Maio um mês que comecei o estágio.

O que posso dizer sobre este primeiro mês?

Não foi fácil, não foi nada fácil.

Eu que sou uma pessoa tímida e reservada acho que as adaptações são sempre difíceis, ir para um sitio novo, onde não se conhece ninguém é sempre complicado, depois aliado a isto está o facto de estar a fazer uma coisa totalmente nova para mim, a minha experiência na Contabilidade é zero.

Então basicamente tive que me adaptar às pessoas e aos métodos de trabalho daquele gabinete.

Relativamente às pessoas, trabalham cinco pessoas naquele gabinete incluindo o meu patrão que me parece ser uma pessoa bastante correta, muito simpático e que trata todos por igual.

Os restantes quatro são todos diferentes, uns mais acessíveis, outros menos, por vezes não sei bem o que pensam de mim mas são todos simpáticos.

A parte difícil é conhecer a forma como trabalham e adaptar-me a ela, há muitas coisas que eu não sei, tenho sempre algumas duvidas então no inicio tinha que estar sempre a perguntar imensas coisas, embora agora já não sinta tanta necessidade de fazer perguntas há sempre coisas que preciso que me expliquem e então às vezes imagino que seja chato para eles terem sempre o seu trabalho interrompido para responder às questões de uma estagiária.

Agora já vou fazendo algumas coisas com mais liberdade mas sinto que ainda precisava de mais tempo para encaixar totalmente com aquele trabalho.

Lá, acabo por fazer um pouco de tudo, aquele trabalho típico de estagiário, o dito "trabalho que ninguém quer fazer" mas que eu acho que acaba por ser útil e nos ensinar alguma coisa.

Tenho também feito a contabilidade de várias empresas de áreas diferentes o que me tem dado bastante conhecimento a esse nível o que para mim era importante.

O balanço deste mês é então bastante positivo, melhor só ficando lá mais tempo, o que é difícil pois já só faltam duas semanas para o fim do estágio.

Depois disso, vamos ver o que o futuro me reserva. 

 

26
Mar17

De volta às estatisticas

Sabem quando achamos que tudo corre mal e que pior do que já esta não pode ficar?

Eis que as coisas ficam mesmo piores.

E assim ao fim de alguns meses, quase um ano que volto à condição de desempregada.

27 anos e desempregada, outra vez, já faz algum tempo na verdade um mês que estou nesta condição.

Parece que há alturas da nossa vida em que as coisas meio que encalham e parece que não tencionam desencalhar nunca.

E depois vem as duvidas, o que fazer? procurar emprego na minha área, o que neste momento parece impossível de arranjar, ou contentar-me com um emprego qualquer que sei que não me vai fazer feliz mas que me dá alguma independência financeira?

Eu sei o que quero fazer, sei o que preciso para ser feliz mas por alguma razão que eu desconheço tem sido super difícil lá chegar.

As vezes penso se não devo abandonar o sonho e contentar-me com outra coisa qualquer, as vezes a vontade de desistir é tanta..

 

14
Jul16

Então e as férias?

ferias1.png

 

Este ano esta complicado para ir de férias com o moço.

Só posso lá para fim de Agosto inicio de Setembro e só até dia 4, pois dia 5 já há aulas na faculdade.

O moço pode o mês de Agosto todo mas depois já tem que cá estar em principio dia 1 de Setembro.

Sendo assim quanto muito vou ter uma semana de férias e já não tiro férias há dois anos.

Vamos lá ver como corre.

 

 

 

24
Jun16

A minha colega de trabalho

Trabalho praticamente sempre com a mesma pessoa.

Passamos mais de oito horas por dia juntas e fazemos alguns quilómetros juntas quando nos deslocamos a outros escritórios/clientes.

Quando a conheci pensei; " esta miúda é muito fixe, fala bastante então acho que a adaptação não vai ser difícil".

Ela realmente passa o tempo todo a falar, em pouco mais de uma  semana fiquei a conhecer toda a sua vida.

Depois é daquelas pessoas que só se gaba, pelo que ela me diz que tem no banco e em bens ela nem precisava de trabalhar.

Mas nem é isso que me chateia nela.

O que me chateia é que na cabeça dela, só ela é que faz as coisas direito, e tem a mania de volta e meia gritar comigo quando acha que estou a fazer alguma coisa mal.

Não digo que faça tudo perfeito mas a verdade é que o meu chefe diz que faço tudo muito bem e que está contente com o meu trabalho depois vem a  miúda dizer que eu sou assim e assado.

Mas tudo bem aguenta-se.

O que eu não sei se aguento é conviver diariamente com ela quando ela passa o dia a fumar mesmo ao meu lado e quando nos deslocamos de carro ela quase duplica a velocidade máxima permitida naquele lugar.

Penso sempre que aquela rapariga se não me matar num acidente de carro vai-me provocar um cancro do pulmão.

 

 

  

17
Jun16

A pior entrevista de sempre

Fui a uma entrevista aqui há uns dias.

Era para um loja daquelas chiques que está sempre vazia onde pouco ou nada se deve vender.

Das primeiras coisas que a gerente me disse foi que tinha que trabalhar todos as sextas, sábados e domingos, nunca iria folgar nenhum.

E era obrigada a fazer sempre noite.

Disse-me que teria dois dias de formação depois teria que ficar sozinha na loja.

Eu fiquei tipo "Ok, sozinha todo o dia? E se quiser ir à casa de banho?"Pensei eu.

A gerente leu-me os pensamentos e disse-me logo de seguida "Se quiser ir à casa de banho, não vai, temos pena.

Disse-me também que a loja fecha às 23h ou 00h no fim-de-semana mas que só saiu depois da 1h, 2h mas que não pagavam as horas extra porque ninguém me ia pedir para lá ficar mas tinha que ter o trabalho feito.

Depois de cinco minutos a olhar para mim com um ar de nojo disse-me:

"A menina é muito séria, não está descontraída nem relaxada, tem que se descontrair menina, você não me parece nada normal. Você se for escolhida para trabalhar aqui acha que consegue ser normal?"

Normal?WTF??

Nem sei bem o que se responde a isto.

Ela lá continuou..."Está com um ar tão cansado, já viu como tem esses olhos"

Eu lá respondi que estava a pé desde as 6h e a trabalhar desde as 7h mas ela lá continuou com aquele ar de nojo a olhar para mim.

Sai de lá de rastos com a minha auto-estima lá em baixo.

Agora a minha vontade era ter respondido à mulher e talvez manda-lá para um certo sitio mas na altura vim para casa a pensar se eu estava assim com um ar tão mau para a mulher dizer aquilo tudo.

Dei por mim a pensar e tentar perceber o porquê de me ter dito que eu não lhe parecia normal.

Fico triste porque há pessoas destas a fazer entrevistas a pessoas que precisam de emprego e já vão meio nervosas para a entrevista depois ainda tem que ouvir estas coisas de pessoas que não tem sensibilidade nenhuma.

Foi a pior entrevista de sempre, imagino como será trabalhar com aquela gerente e é caso para dizer "Deus me livre".

03
Jun16

A procura terminou

Depois de dois meses desempregada lá encontrei trabalho.

Não é o trabalho da minha vida mas é bem bom, a tempo inteiro, com um salário muito bom de segunda a sexta das 9h as 17h.

Segunda-feira começo.

Acho que agora, finalmente, vou começar a riscar algumas coisas da minha lista de resoluções para 2016.

18
Mar16

A procura contínua # 2

A procura por emprego contínua tenho dedicado este mês a enviar currículos para escritórios de Contabilidade, na verdade ainda só obtive duas repostas e foram ambas negativas.

Das duas vezes disseram-me que procuravam alguém com mais experiencia.

A verdade é que não tenho experiência em Contabilidade mas também é verdade que tenho imensos conhecimentos de contabilidade e de Fiscalidade.

Sei trabalhar com vários Softwares de contabilidade, nomeadamente Sage e Primavera.

Sei bastantes coisas mas claro que não sei tudo e que necessito de experiência mas se ninguém me der uma oportunidade nunca vou ter essa experiência.

Sinceramente estava a tentar encontrar trabalho em escritórios ou empresas para poder trabalhar na minha área mas assim estou a ver que vai ser muito difícil.

Não está fácil.

17
Mar16

Pérolas no emprego # 13

Estava a acabar de atender um cliente e ao dar-lhe o talão o Sr. disse:

Cliente: Muito Obrigada.

Eu: Obrigada eu. Boa tarde.

Cliente: Não era para si, estava a agradecer a senhora que me deixou passar à frente.

Eu: Ah ok.

Cliente: Ó menina você também queria que lhe agradecesse por estar a fazer o seu trabalho?

Pagam-lhe para isso.

E foi-se embora.

 

04
Mar16

Ando com o híper pelos cabelos

No fim-de-semana passado o híper estava completamente cheio.

Eu devia ter saído para almoçar às 15h, uma hora antes não me tinham deixado ir à casa de banho porque tinha muita gente, compreendi e também pensei, como falta pouco para as 15h espero mais um bocado.

As 15:30 pedi se já podia ir almoçar, meia hora depois da minha suposta hora de almoço.

Disseram-me para aguardar mais um bocado.

Entretanto as minhas colegas que saíam também as 15h já tinham ido almoçar e eu lá continuava.

Só me deixaram ir almoçar às 16:30h e fui informada, não me pediram, exigiram que apenas tirasse uma hora para almoçar, normalmente tenho direito a duas horas, supostamente iria sair uma hora mais cedo.

Só que não, ainda consegui sair mais tarde.

Disseram-me que no dia seguinte sairia mais cedo uma hora, mesmo assim sai de lá fula da vida.

No dia a seguir não estava nada bem, uma gripe mal curada mas mesmo assim fui trabalhar porque isto hoje não se pode ficar doente.

Perto das 20h aproveitei que uma supervisora me foi levar moedas para a informar que não me sentia muito bem e que como me disseram que podia sair mais cedo gostava de o fazer.

Disse-me que tinha muita gente e que era impossível.

Devia ter saído as 21h é o meu horário ao Domingo como me tinham dito que gozava a hora que dei no dia anterior devia ter saído às 20h.

Sai as 21:30h depois de muito ter reclamado.

Já sei que lá no híper horários é para esquecer, dificilmente são cumpridos mas o que mais me revolta é que isto só acontece com os que estão a part-time, quem esta a full-time já esta lá há muitos anos e por isso devem ter qualquer tipo de beneficio do género “fazem o que querem” e saem às horas que querem e não ficam nem mais um minuto.

Mas eles são mais do que eu só porque estão lá a mais tempo que eu?

Parece que sim.

Depois ando há meses a pedir para me colocarem a full-time e estão sempre a dizer que não mas colocaram uma colega minha que está lá à bem menos tempo que eu a trabalhar a full-time

Já ando com o híper pelos cabelos, a minha vontade é sair dali e procurar outra coisa.

18
Fev16

A ansiedade da espera

Quem procura emprego sabe que ficamos sempre com o coração nas mãos quando o telefone toca.

Saímos da entrevista e dizem-nos quase sempre, “Depois entramos em contacto”

Claro que depois estamos sempre à alerta sempre que o telefone toca achamos que pode ser o recrutador a dar-nos a feliz notícia de que encontramos emprego.

Quem procura emprego sabe também a desilusão que se sente quando toca o telefone e não é o recrutador, ou é a mãe, ou o pai, ou o comercial da meo.

Isto tudo aumenta quando gostamos muita da empresa, e queríamos mesmo muito ficar com aquele emprego.

É isto que está a acontecer comigo agora.

Tenho em vista o trabalho perfeito, pelo menos para mim, aquilo que eu quero fazer e onde eu sei que vou ser feliz só falta é que me contratem.

Estou agora naquela ansiedade a rezar para que me liguem e com aquele receio de levar um valente balde de água fria.

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

2018 Reading Challenge

2018 Reading Challenge
Ana has read 5 books toward their goal of 60 books.
hide

A Ler

Na minha estante

Links

  •  
  • Arquivo

      1. 2018
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2017
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2016
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2015
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D