Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Girl About Town

“I like my money right where I can see it: hanging in my closet.” — Carrie Bradshaw

Seg | 15.04.19

Livro # 2 | O Porto das Almas

image (2).jpg

Sinopse

Jasmin é uma mulher soldado do exército sueco colocada no Kosovo que vive para o filho, Dante, cujo pai é um camarada de armas, um homem instável que tenta afogar os horrores da guerra em álcool e drogas. No Kosovo, Jasmin fica gravemente ferida e, durante a hospitalização, enquanto se encontra entre a vida e a morte, a sua alma parte para uma misteriosa e sobrelotada cidade portuária, um porto de almas, de onde os que morrem jamais regressarão. Mas Jasmin é forte e consegue escapar.

Dois anos após a sua primeira experiência na cidade dos mortos, um acidente rodoviário obriga Jasmin, desta feita acompanhada pelo filho, a regressar: todavia, só ela é que consegue escapar ao porto das almas. O caso de Dante, que está à espera de uma operação, é muito mais grave, e Jasmin não pode abandoná-lo à mercê da cidade misteriosa: a sua única opção é voltar, uma vez mais, e lutar por quem ama, num jogo terrível .
 

Desde o primeiro livro que fiquei fã da dupla Lars Kepler. Com o avançar das leituras a minha admiração pelos autores só aumentou. 

Estava então muito curiosa em relação ao seu novo livro, O Porto das Almas, que agora não é assim tão novo, entretanto saíram mais alguns. 

Como eu já esperava, as minhas expectativas não foram defraudadas. 

Temos aqui um livro que explora aquilo que nem sei muito bem o que chamar, aquele momento em que deixamos a vida, em que morremos temporariamente, o limbo, vamos lhe chamar assim.

O livros conta-nos a historia de Jasmin, uma mulher soldado que durante uma missão no Kosovo fica gravemente ferida, sofrendo uma paragem cardíaca. Durante todo esse tempo, que para ela parecem horas mas na realidade não passam de segundos, ou talvez alguns minutos ela está num porto, o porto das almas, o limbo para onde vamos e onde temos uma segunda oportunidade de voltar à vida ou morremos mesmo.

Ela lá consegue regressar com perfeita memoria do que viu mas claro que todos pensam que se trata de stress pós traumático.

Passado alguns anos depois de um trágico acidente, Jasmin é obrigada a regressar a esse limbo para lutar pela vida do filho.

Sendo os autores Lars Kepler eu esperaria um policial, várias mortes, um assassino e o livro seria focado na busca por esse assassino.

Ora este livro não tem nada disso, o que para mim é positivo, os autores arriscaram-se ao escrever sobre um outro tempo e acho que fizeram muito bem pois resultou num livro muito bom, que se foca sobre um tema muito interessante e que realmente nos faz pensar.