Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Girl About Town

Seg | 12.09.16

Livro # 28 | Os últimos dias dos nossos pais

1507-1 (4).jpg

 Sinopse

se os ingleses tivessem sido os verdadeiros artesãos da vitória dos Aliados na Segunda Guerra Mundial? Londres, 1940. Após a pesada e preocupante derrota do exército britânico em Dunquerque, Churchill tem uma ideia que viria a mudar o curso da história: criar um Executivo de Operações Especiais dentro dos Serviços Secretos. Este seria constituído por civis, que levariam a cabo acções de sabotagem nas linhas inimigas. Paul-Émile, um jovem e patriótico parisiense, chega a Londres uns meses mais tarde para integrar o movimento da Resistência e é imediatamente recrutado pelo Executivo de Operações Especiais. Apesar do patriotismo, ninguém nasce resistente, pelo que aí, junto com outros jovens franceses, irá ser sujeito a uma formação e treinos intensos, de forma a poder voltar a França e assim contribuir para a construção de uma rede de Resistência.Serão estes jovens aprendizes de guerreiros os verdadeiros protagonistas deste romance que nos revela, finalmente, a verdadeira natureza da relação entre o movimento da Resistência e a Inglaterra de Churchill.

 

Primeiro livro de Joel Dicker que se tornou famoso com o livro que todos amamos - "A verdade sobre o caso Harry Quebert".

Quando peguei neste livro foi sem nenhuma expectativa de que ia ser melhor ou pior que o livro acima mencionado, já sabia que a única semelhança entre ambos é mesmo que o autor é o mesmo então verifica-se a mesma escrita brilhante nos dois livros.

Em "Os últimos dias dos nossos pais" a historia foca-se em Paul-Émile um jovem que viaja para Londres para ingressar na resistência.

Paul vai se tornar membro dos serviços secretos, em conjunto com outros jovens que acabariam por formar uma espécie de família.

Vamos acompanhando o treinamento destes jovens, as amizades, os amores que vão surgindo, ao mesmo tempo que vemos o sofrimento de Paul-Émile por estar longe do pai e não conseguir contactar com o mesmo.

O livro é brilhante, para mim está ao nível de "A verdade sobre o caso Harry Quebert".

É um livro que se lê rapidamente, li-o em dois dias enquanto estive de férias.

O livro em mim provocou-me varias emoções, de lá de meio do livro para a frente foi chorar sem parar e o final, o final é um autêntico murro no estômago que me deixou a chorar durante uns bons 10 minutos.

Depois da fase do choro veio a raiva, apetecia-me atirar com o livro contra uma parede, aquele final matou-me.

Depois veio a aceitação, aquele final fez toda a diferença no livro.

Adorei, adorei, adorei e recomendo vivamente a todos!